CONHEÇA NOSSO BLOG
29Mar
sonda nasoenteral e nasogástrica

Sonda nasoenteral e sonda nasogástrica: qual a diferença?

O correto manuseio das sondas dos pacientes é um dos cuidados pós-operatórios mais importantes. No âmbito da medicina, existem dois tipos desses instrumentos: sonda nasoenteral e sonda nasogástrica. Ambas servem como alternativa de alimentação para indivíduos que não podem se alimentar totalmente pela boca durante a nutrição enteral. Entretanto, elas têm características diferentes e são utilizadas em locações distintas.

Neste artigo, a Saver Home esclarece as principais dúvidas quanto às sondas nasoenteral e nasogástrica, assim como suas diferenças. Saiba mais, a seguir.

Diferenças entre sonda nasoenteral e sonda nasogástrica

Sonda nasoenteral

sonda nasoenteral

A sonda nasoenteral é colocada da narina até o sentido pré-pilórico (no estômago) ou pós-pilórico (no intestino — duodeno ou jejuno). Possui calibre fino, fio-guia maleável no seu interior, tarja radiopaca que permite controle radiológico e sistema de fechamento exclusivo. Para esse tipo de sonda, é necessário fazer um exame de raio X para verificação do posicionamento correto.

A sonda nasoenteral tem como única função a alimentação, ou seja, auxilia os procedimentos da nutrição enteral. No entanto, em alguns hospitais, também é utilizada para fazer drenagem. Os alimentos devem ser administrados em forma líquida para fornecer todos os nutrientes necessários para o paciente.

É muito utilizada em pacientes que estão em internação prolongada ou que não têm tempo determinado para fazer uma alimentação via oral. É empregada tanto na internação hospitalar quanto na internação domiciliar.

A introdução de uma sonda nasoenteral é feita somente por um enfermeiro. Aliás, o profissional deve ter a confirmação da locação da sonda por meio do exame de raio X antes de liberar a infusão da dieta.

Sonda nasogástrica

diferenças entre sonda nasoenteral e nasogástrica

A sonda nasogástrica, também conhecida como sonda de Levine, é uma das mais usadas na área medicinal. É fabricada em material de PVC, totalmente maleável, transparente e atóxica. Diferentemente da sonda nasoenteral, não possui fio-guia e não requer exame de raio X para verificar sua localização. Nesse procedimento, o tubo é introduzido pela narina e posicionado no estômago.

É utilizada, geralmente, para lavagem gástrica. Por exemplo: preparação do aparelho digestivo para exames ou cirurgias, estancamento de hemorragias gástricas ou esofágicas e drenagem de conteúdo gástrico excessivo. Também podem ser utilizadas para alimentação.

Somente o enfermeiro pode manusear esse tipo de sonda, sendo de sua competência toda a complexidade do uso. Os cuidados e a manutenção podem ser feitos pelos técnicos de enfermagem.
A sonda nasogástrica pode ser utilizada de duas formas: aberta (para drenagem de líquidos intragástricos) ou fechada (utilizada para alimentação). Os conteúdos intragástricos podem ser: bílis, borra de café (bile + sangue), sanguinolento vivo, sanguinolento escuro, amarelado ou conteúdos tóxicos ingeridos.

Cuidados

cuidados com sonda nasoenteral

As complicações mais comuns, tanto na sonda nasoenteral quanto na nasogástrica, são decorrentes de negligência por parte dos profissionais de saúde. As mais comuns incluem escoriações, hiperemias, perfurações no sistema digestivo, infecções nas vias aéreas, náuseas, distensão abdominal e obstrução do instrumento.

Geralmente, são causadas por alguns fatores de risco referentes às sondas. Entre eles, podemos citar introdução incorreta, mau posicionamento, retirada acidental, tipo de fixação externa e tempo de permanência. Por isso, é tão importante contar com profissionais treinados e atenciosos para atender aos pacientes com toda a delicadeza necessária. Se você procura por serviços de home care no RJ, conte com a Saver Home! Oferecemos enfermagem domiciliar, cuidador de idosos e suporte para internação domiciliar. Também oferecemos outros serviços domiciliares e suporte para empresas. Entre em contato conosco para saber mais!

Compartilhe: